Descrevendo um sonho

Eu sonhei e foi fantástico.

Acordei de manhã e minha esposa estava dormindo ainda.

Era um domingo.

Fui até o quarto das crianças e a minha caçula dormia. Fui até a sala e meu garotão estudava para o vestibular. Sentei do lado dele pra tirar umas dúvidas que ele tinha.

Minha esposa acordou e perguntou se já tinhamos tomado café da manhã. Respondi que não e pedi que ela fosse deitar mais um pouco, porque queria fazer o café da manhã para todos.

Ela deu um sorriso e foi ver a nossa menina. Eu fui para a cozinha e preparei uns omeletes para todos.

Chamei minha familia para tomar café. Minha mulher trazia nosso tesouro no colo, o Cláudio veio para a mesa e começamos a conversar sobre o futuro dele.
Ele disse que não sabia o que fazer do futuro. Que tinha medo de errar e perguntou se eu sabia o que ele tinha que fazer.

Obviamente disse que não sabia. Ele tinha que encontrar o próprio caminho. Que eu mesmo tinha demorado para me encontrar.

Queria que ele tivesse calma para se resolver.

Terminamos o café da manhã e meu amor foi trocar o bebê. Eu estava lavando a louça e minha esposa perguntava do almoço. Sugeri comermos fora. Afinal ela já trabalhava a semana toda, cuidava da bebê mais por dedicação do que por necessidade e seria bom para relaxarmos.

O Cláudio iria almoçar na casa da namorada e ficaria com ela para estudar. Mandei ele ter juízo e fui tomar banho para me trocar.

O Cláudio ficou brincando com a bebê enquanto minha esposa se trocava.
Eu estava no banho e ela entrou, estava linda, a gravidez só fez com que eu achasse ela mais bonita. Entrou no banho comigo e me abraçou pelas costas. Disse que sentia orgulho de mim, que estaria sempre comigo e que a vida não nos deixou ricos, mas que eramos felizes por estarmos tentando mais.
Eu a beijei e saimos do banho.

Enquanto nos trocavamos, conversavamos sobre o filho do meu irmão que estava para nascer. Que a esposa dele precisaria de uns conselhos e ela concordou em irmos na casa deles no final de tarde.

Fomos lá, meu irmão estava vendo Tv e a esposa dele lia um livro sobre cuidade de crianças. Eles nos receberam com um belo sorriso, fazia uns meses que eu não via meu irmão. Ficamos conversando sobre o trabalho e a fase que estava para começar, enquanto minha esposa conversava com a mulher dele, para ficar mais calma na hora que se aproximava.

Ficamos com a bebê enquanto as duas conversavam. A mulher de meu irmão adquiriu grande afinidade com a minha com o passar dos anos.

Elas falavam, riam, nós também. A bebê pegou no sono e voltamos para casa.

Coloquei o bebê na cama e dei um beijo na testa dela.

Ficavamos vendo televisão abraçados, para relaxar. Fui até a cozinha e abri um vinho para nós dois. Fazia frio e minha esposa andava stressada com o trabalho. Comprei um filme no Pay-per-View, mais uma daquelas comédias romanticas que esquentam as noites de domingo.

O Cláudio voltara da casa da namorada, pediu a chave do carro emprestada para levar umas coisas na casa da mãe. Com muito custo minha esposa me convenceu a emprestar o carro. Dei aquele alerta básico de pai: “Se tiver um arranhãozinho sequer  no meu carro você vai pagar!!!”.

E ele foi. Eu sabia que ele iria demorar mais do que o normal, que iria levar a namorada para passear e essas coisas de adolescente.

Voltei para a sala com a minha esposa para ver o filme.

E ela perguntou:

Se eu ficar velha?

Eu fico junto.

Se eu ficar feia?

Eu fico miope

Se eu ficar triste?

Eu viro um palhaço

Se eu ficar uma chata?

Eu te faço rir

Se eu ficar gorda?

Eu quebro o espelho
Você é muito mentiroso, mas eu te amo.
E foi deitar. Eu fiquei esperando  o Cláudio voltar para casa.

Ele chegou e eu fui deitar.

Ao chegar no meu quarto olhei para a minha mulher deitada, lendo um livro. Ainda vestida com o mesmo camisão da época que namorávamos e reparei que ela envelheceu e ficou melhor, que não era tão bonita quanto antes, mas a idade trouxe-lhe outras belezas melhores e meus cabelos brancos não à incomodava. Ela era uma mulher incrível. Daquelas que somente com o sorriso era capaz de curar qualquer ferida.

Ela lia um artigo do trabalho na cama. Eu fui tomar banho para deitar.

Voltei do banho, deitei na cama com ela e disse que ela ainda era a mulher mais bonita do mundo. Fizemos amor como na época que namorávamos.

A segunda-feira começou como todas as outras segundas – feiras. Acordei cedo, minha esposa já não estava mais na cama. Fui para o banho, me troquei para sair para trabalhar.

Fui para a cozinha. Minha esposa dava uma bronca na empregada sobre roupas brancas que não entendi direito. A minha caçula fazia bagunça na cadeirinha e acabara de sujar todo o uniforme da escolinha. Fui trocá-la. Quando voltei para cozinha o Cláudio ainda não tinha acordado para ir para o cursinho, fui acordá-lo. Ele não queria se levantar, peguei um copo com água e fiz ele levantar da cama. Obviamente ele tomou um susto, mas deu risada.

Desci, minha esposa pediu para eu deixar a bebê na escolinha porque ela tinha que chegar um pouco mais cedo no trabalho, disse que sim sem pensar. Liguei para o meu chefe avisando que chegaria um pouco mais tarde e fui levar minha filhinha para escolhinha. O Cláudio saiu ao mesmo tempo que eu, minha esposa já esperava  a correria do “doido” e quando eu perguntei se ele não iria comer nada e ela já tinha um sanduiche na mão e enfiou na boca dele enquanto saia com a mochila caindo pelos braços.

Ela me deu um beijo rápido, disse que me amava e que não sabia se viria almoçar, para eu pegar o vestido dela na lavanderia, porque ela não sbia se daria tempo. A prima dela se casaria naquela semana e ela não queria que nada desse de errado.

Trabalhei toda manhã. Na hora do almoço ela ligou para me lembrar do vestido, avisou que não almoçaria em casa. Eu liguei em casa pedi para empregada não esperar nós dois para o almoço e pedi para ela guardar comida para noite.

Peguei o vestido, fui almoçar com o pessoal do trabalho. Sai do trabalho e peguei minha filhinha na escola.

Cheguei em casa e todos já estavam lá. Havia passado na chocolateria e trouxe um dos bombons favoritos da minha esposa de surpresa, mas minha estragou a surpresa porque estava com o rosto todo sujo de chocolate e eu esqueci de limpá-la no caminho. Minha mulher riu e me agradeceu com um beijo carinhoso.

Me troquei e fiquei brincando com a bebê enquanto minha esposa arrumava a mesa para o jantar.

Fomos jantar, botei a bebê na cama, fui assistir o jornal. Minha mulher sentou do meu  lado, o Claudio voltou da rua e disse que iria ficar o resto da semana com a mãe dele. Vimos a novela, assistimos o primeiro tempo do jogo de basket da NBA e como já era tarde fomos deitar.

Ela estava com o mesmo camisão do domingo.

Eu deitei e disse para ela: Eu não trocaria nossa vida por nada disso.

E ela respondeu-me : Eu também não.

*************************************

É um belo sonho, que na verdade tenho sonhado a bastante tempo. Mas ver em sonhos é uma coisa inigualável, você vivencia pelo menos dentro da sua mente.

~ por danielcelha em 13/07/2009.

Uma resposta to “Descrevendo um sonho”

  1. Meu Deus! Quanto filhoooo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: